Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Entre a enchente e o acidente

Oi, tudo bem?

Nossa, tem acontecido tanta coisa por aqui que eu nem sei por onde começar para te contar. Foram fortes emoções nos últimos dias por aqui e, contando isso e o cansaço da correria do trabalho, nem tenho tido tempo de sentar na frente do micro para escrever.

Bom, eu posso te garantir que na última semana eu tive uma leve noção do que significa o risco de perder alguém ou alguma coisa.

Primeiro, porque tivemos uma mega enchente na minha cidade - que não acontecia há décadas - e de repente, vi de perto vários conhecidos meus perderem seus pertences e quase perderem familiares. É muito diferente ver esse tipo de situação do lado da gente ao invés de ver pela tv. Passei pertinho dos lugares mais afetados no dia seguinte e pude ver a destruição que a água causou... nossa, é de arrepiar! Como mammy trabalha de um lado do rio e eu do outro, sabe quando você pensa assim "e se dá uma chuva dessas e a gente fica separada?! Como vou fazer para ir buscá-la se não tem nenhum lugar …

O dia em que fui na orquestra no escuro

Oi, tudo bem?
Pois é, o título é verdadeiro. Ontem, pela primeira vez na vida, fui assistir uma orquestra no escuro. Ou quase...eu explico.

Depois de tudo que andou me acontecendo nos últimos dias, ontem tivemos o privilégio de assistir um concerto da Orquestra Bachiana do SESI-SP regida pelo inigualável maestro João Carlos Martins e participações mais que especiais de alguns convidados ilustres dos quais eu não lembro o nome agora (mas o talento deles está bem guardado na memória).

Mammy estava realizada com esse evento porque, da última vez que eles vieram na minha cidade, nós não pudemos ir porque estávamos trabalhando no horário (a apresentação foi em uma sexta-feira e a gente trabalha até às 22h). Mas ontem estava tudo combinado para realizarmos um sonho de mammy. Se não fosse a chuva....

O evento estava marcado para às 20h. Pretendíamos sair de casa às 19h para chegarmos cedo e pegar um bom lugar, de preferência no pé da boca-de-cena do teatro (na última apresentação, várias pessoas…

O primeiro Eu te amo e o primeiro ramalhete

Oi, tudo bem?

É, minha gente. Com esse título aí, o post tinha tudo para ser pra lá de romântico do tipo "encontrei o homem da minha vidaaaaaaaaaa". Mas não foi bem assim.

Vocês lembram do garoto que falei no último post, certo!? Lembram que eu estava disposta a dar uma chance pra ele e ver no que ia dar, certo?! E foi isso mesmo que eu fiz. Sem ressalvas ou receios, arrisquei pra valer. Fui carinhosa, atenciosa, prestei atenção nele e tentei conhecê-lo melhor. E ele retribuiu com muita (muita mesmo) atenção, carinho, torpedinhos (mil...) carinhosos, demonstrações de amor e carinho sempre que nos víamos. Tudo estava indo muito bem... até demais.

Na última semana, tive uma viagem a trabalho e acabamos ficando alguns dias sem nos ver. E, durante esses dias, eu recebi uma mensagem muito estranha no celular de um rapaz que se disse amigo dos meus amigos e que estaria interessado em mim. Li e deletei. Sou do tipo que fica com um por vez (até porque tenho 1 boca só e só dá pra beijar…

Voltando a vida...

Oi, tudo bem?
Seguimos a vida, certo?! Voltei à minha querida rotina super-corrida de muito trabalho e pouco tempo para mim e estou muito feliz com isso.
A volta foi a mil por hora porque tínhamos uma viagem marcada para o dia seguinte à minha volta para assinatura e apresentação de um novo convênio que teremos no trabalho com uma grande empresa. Fomos visitar a empresa, conhecemos vários processos industriais que eu nem sonhava que existiam e eu me diverti muito. Se tem uma coisa que eu amo nessa vida é viajar; nem que seja para o distrito ao lado. Pegar a estrada, conhecer pessoas e lugares novos é tudo de bom.
A maior novidade nos últimos tempos tem sido aquele garoto que falei no último post. Resolvi dar uma chance ao rapaz. Apesar do grude, das constantes demonstrações de amor-carinho-afeto-etc que ele tem me dado, eu ainda não consigo sentir nada muito assim por ele. Pelo contrário. Tanto zelo está me sufocando. Só estou segurando a onda porque acho que ele realmente merece uma ch…