Pular para o conteúdo principal

Tudo mais leve

Oi, tudo bem?

Hoje, estou feliz. Estou contente porque a semana trouxe boas notícias e novas esperanças. A vida não tem sido fácil para ninguém e, por aqui, não é diferente. O período de inverno é particularmente mais difícil porque mammy fica mais doente (ela tem problemas de artrose e artrite e o inverno judia mais do corpo), o garoto fica com pouco trabalho (será que já contei que ele é autônomo e trabalha com refrigeração?!) e eu acabo engordando mais porque como mais para descontar toda a ansiedade e não vou fazer minhas caminhadas porque as manhãs são muito frias hihih. A parte boa do inverno é que minhas enxaquecas me dão uma trégua (costumo sofrer mais crises em temperaturas mais altas). E vamos combinar que inverno é vida, certo?! A maquiagem não escorre, as roupas são mais bonitas, as comidas mais gostosas...xiii, a lista vai longe.

Desde que me casei, as postagens diminuiram consideravelmente aqui no blog e até parei com algumas postagens coletivas que costumava participar por pura falta de tempo. Ainda tenho, em alguns momentos, a sensação de estar "correndo atrás do rabinho" com tantas atividades e responsabilidades da casa, do casamento, do trabalho, da família, dos amigos, da igreja... enfim, por isso nao tenho sido tão presente (se é que isso serve de justificativa).

Outro ponto é a falta de assunto. Minha vida é bem comum, sem novidades nem grandes acontecimentos. Antes, eu até conseguia fazer um super mega post por uma coisa simples, mas agora simplesmente não me sobra tempo nem pra isso.

Aos poucos, eu acho que estou chegando em um ponto de equilibrio. A minha vida tem mudado consideravelmente depois que comecei estudar mais sobre o minimalismo e toda a filosofia de vida por trás desse movimento que virou a última moda do momento.

Ontem mesmo, estava conversando com uma colega de trabalho que me disse "qual o motivo de trabalhar, se não podemos ter as coisas?". Eu tenho que admitir que aquela frase ficou martelando na minha cabeça por muito tempo. Porque o sentido do minimalismo não é deixar de ter as coisas, mas ter somente o que é necessário para a sua vida e não ter o que a revista diz que você tem que ter.

Por que eu preciso de cinco jeans, sendo que a indústria da moda é uma das mais poluentes no mundo? Tanta gente precisa de mais roupa do eu, certo?! E se minha rotina se resume a trabalho (que tem uniforme) e sair uma ou duas vezes no final de semana para passear ou ir a igreja, acho que não preciso de um guarda roupa tão extenso assim.

E isso não é só sobre roupas (apesar de ser o principal assunto quando buscamos o tema no google): é sobre as pessoas que ocupam espaço demais em nossa vida e não acrescentam nada, sobre a vida virtual que nos engole nas redes sociais e não nos acrescenta nada, sobre a alimentação extremamente industrializada e cara e que não nos acrescenta nada... Tudo que está em nossa vida e não nos acrescenta nada, é o que está excedendo e devia ir embora.

Essa tem sido a minha principal preocupação: rever meus hábitos, conceitos e (por que não?!) coisas que tenho na vida e minimalizar tudo para ser mais leve.


Comentários

Danielle Marques disse…
oi nana! ja tava desistindo de vir por falta de post ;/ hehe. mas nesse vc se superou! sou uma pessoa muito acumuladora, gosto de ter sempre novidades, mas sabe o que to notando? minha casa tá ficando cheia de entulho por comprar demais. meu fraco é mais a decoração da casa, sou instagramer de decoração e sempre quero mostrar as tendencias da moda casa para seguidoras se inspirarem, e isso quer dizer que sempre tenho que estar comprando coisas e coisas pra acompanhar esse ritmo! acabo me apegando as coisas velhas, e as novas tambem e isso ta virando um enorme ciclo vicioso. Estou mesmo precisando rever meus hábitos! faz mais posts sobre isso, por favor... um super beijo, Daniele.
Ana Nana disse…
Oi Dani, quanto tempo mesmo! Prometo tentar vir mais vezes com esse tema sim! Obrigada pelo carinho e pela visita e, principalmente, por dar mais uma chance pro meu cantinho!

Postagens mais visitadas deste blog

Firme e forte e outras estórias

Oi, tudo bem?
Gostou do título do post? Firme e forte. Tudo bem que quase ninguém deu a mínima para o meu post anterior (só teve um comentário), mas eu continuo na vibe de melhorar a minha saúde. #chateada
Hoje, particularmente, estou mais disposta e isso graças à Neguinha. Ela deu de querer brincar de jogar a bolinha toda vez que eu apareço na porta da cozinha. Só que agora não é só jogar a bolinha: é correr pelo quintal atrás dela para pegar a bolinha para jogar de novo. Gastei hoje uns 10 minutos assim e já fiquei com a língua de fora, igual a ela rsrsrs.
A minha meta de caminhada+dieta foi interrompida semana passada: comecei a semana super bem, comendo certinho e fazendo exercícios todos os dias. Mas, na quarta passada, o garoto bateu o carro! :(
Ele estava descendo uma avenida e o carro da frente freou bruscamente para um outro carro, que fez a conversão sem ligar a seta, passar. Conclusão: o garoto bateu atrás do carro que freou! O carro que virou sem seta foi embora como se não ti…

Retrô 2016 - O ano!

Oi, tudo bem?
Último dia do ano, não podia faltar né?! Retrô 2016!!! "O" ano! O ano que virei gente grande, casei, virei "mãe" e nem atualizei tanto o blog porque a vida foi bem movimentada.
Mas ainda temos alguns registros aqui e lá vamos nós para relembrar:
1) Comecei o ano na igreja, com um baita crise de choro por saber que era minha última virada solteira. Tivemos a saga da #operacaocasamento com todos os preparativos descritos a cada cinco dias. E claro, com direito à um spin-off  sobre o presente misterioso.
2) Se 2016 foi "O" ano, Fevereiro foi "O" mês: mês do casamento, da lua de mel, do início da vida de casada.
3) Eu já estava com "tlinta e tlês" anos e já era uma senhora casada, sofrendo para aprender administrar tanta novidade junto. 
4) Abril foi o mês dos "primeiros": primeira tentativa de adotar uma "filha", primeiro acidente doméstico, primeira intoxicação sem ajuda de mammy. Ufa, eu sobrevivi!
5) Maio foi…

Thanksgiving

Oi, tudo bem?
"Rendei graças ao Senhor porque Ele é bom, porque a Sua misericórdia dura para sempre" Salmo 118:1
Hoje é Dia de Ações de Graça. Infelizmente, não temos o hábito de celebrar a data aqui no Brasil - apesar de termos copiado a Black Friday.
Mas eu tenho o costume de celebrar a data por ser uma tradição dos cristãos protestantes desde muito tempo atrás.
Antigamente, era o dia em que os colonos agradeciam a Deus pelo ano de colheita e compartilhavam com os mais pobres o que tinha restado da safra.
Hoje, aqui no Brasil, o dia serve mais como um memorial para olharmos pra trás e agradecermos a Deus por tudo. O simples fato de poder agradecer já é um grande milagre; afinal, se você está vivo para agradecer, está bem melhor que muita gente que não chegou até a data de hoje para ser grato. #filosofando.
Eu tenho muito a agradecer este ano.
1) Por ter corrido tudo bem com os preparativos do casamento e por todos os livramentos e providências divinas para resolver tudo que aconte…