Pular para o conteúdo principal

Oi terrinha

Oi, tudo bem?

Depois de muito tempo, voltei para minha terrinha. E sozinha!

Tivemos um treinamento em São Paulo e minha chefe pediu para ir no lugar dela porque o marido dela está passando por um tratamento de câncer - aliás, oremos por ele porque ele é como um segundo pai para mim, já foi meu chefe por 4 anos no emprego anterior e, praticamente, tudo que sei no trabalho, aprendi com ele. Além dos dois serem meus padrinhos de casamento.

Como ele passou por uma cirurgia, ela queria ficar com ele e pediu se eu poderia ir pra Sampa no lugar dela. Macaco quer banana? Lógico que aceitei.

Fui de busão, sozinha pela primeira vez, e penei por quase cinco horas em um ônibus que pára se a cana balançar na estrada. As outras duas meninas que iam de escolas da região, foram em outros ônibus em outros horários e fomos nos falando por zap até chegar na Barra Funda.

Pegamos táxi, fomos para o hotel e tivemos que comer lanche porque já estava tudo fechado às 22h05 (na verdade, o problema maior foi a localização do hotel bem no centrão velho de Sampa que é meio perigoso para sair à noite e as meninas não queriam pagar táxi que a empresa não ia reembolsar).

O lanche me fez ir  dormir depois das 2h da manhã. Admito: senti falta da cama, do chuveiro, da Neguinha e do garoto. Minha casa é meu pequeno paraíso e percebi que, agora que minha vida e da minha família está estabelecida, eu não tenho mais motivos parar querer morar longe, viver na correria extrema e só pensar em ganhar dinheiro. Tem coisa mais importante que isso. E essa vibe de minimalismo e slow living me faz dar valores maiores às pessoas do que as coisas (Deus, com certeza, é a principal razão de eu estar buscando uma vida melhor a cada dia).

Dia seguinte, caprichei no café da manhã (suco de melancia, ovo mexido, cereal com achocolatado e rabanada) e fomos pro treinamento. Depois, as meninas queriam bater perna no Brás com mala e tudo, mas consegui convencê-las a ir pro shopping.

Quarenta minutos depois.... ar condicionado e segurança, pudemos comer e passear tranquilamente antes de ir pro terminal para voltar para casa. 

Subindo a rampa do terminal, tinha uma senhora bem figura na minha frente (calça moletom dois tamanhos menores, mochila virada na frente do corpo e viseira de praia em um corpinho de 1,4 m) que ficava me fazendo careta, enquanto um "nóia" (palavras da senhora) estava em cima da minha amiga para ajudá-la a carregar a mala. Confesso que não sabia se estava com mais medo da senhora ou do garoto. No final da rampa, o garoto devolveu a mala para minha amiga e nos desejou boa viagem. A senhora me agarrou pelo braço: "estava te avisando que ele é perigoso!". 

Gente, eu fiquei até sem graça. Sei lá se o cara era perigoso ou não, mas a que ponto chegamos de ter medo das pessoas por causa da violência? Que mundo é esse?

Casa, cama, chuveiro, ver minha filha, minha mãe e dormir com meu garoto... essas coisas não tem preço e Sampa não tem mais o mesmo gosto de antes.

Comentários

Luma Rosa disse…
Oi, Nana!!
Quanto tempo não vinha aqui!! Fiquei dois anos ausente, mas agora estou de volta! Quanta coisa mudou! Você casou e teve uma filha... parabéns duplo!! Ainda lembro de você às voltas com os preparativos do casório. Certamente, pessoas são mais importantes que coisas. Pena que algumas pessoas não se dão conta disso :) Rever lugares, muitas vezes é decepcionante! Sair de casa é bom, voltar pra casa é melhor ainda!!
Beijus no coração!!
Nana disse…
Luma Rosa: obrigada por reaparecer no meu cantinho kkk As coisas mudaram para melhor por aqui, graças a Deus. Volte sempre!!!
Gisley Scott disse…
Feliz que você foi e voltou em segurança e agora pode desfrutar de um tempo de qualidade com a sua família. Beijo gde!!

www.vivendolaforanoseua.blogspot.com
Nana disse…
Gisley: foi um breve tempo de aprendizado.
Bj e fk c Deus
Nana - procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

Tag de tudo um pouco

Oi, tudo bem?
A Mila me indicou nessa tag e eu amo participar de blogagens coletivas e tags, então... vamos lá:
Regras Deve indicar 11 blogs com menos de 500 seguidores; Colocar o selo da Tag; Colocar os créditos ao blog Atrás da Penteadeira; Colocar o blog que te indicou.


Perguntinhas 1- Qual seu estilo musical preferido? Boa pergunta...geralmente, gosto do que está tocando no rádio..se for pop rock, melhor ainda.
2- Qual peça de roupa é sua queridinha no momento? Meus shortinhos de calor, fresquinhos e floridos para ficar em casa de bobeira.
3- Qual de seus esmaltes é o mais divo? Marca e cor. Babado Forte, da linha Color Trend da Avon
4- Shorts ou saia? Por quê? Sempre shorts, não muito curto. Saia só se for longa.
5- Cabelo liso ou cacheado? Sempre cacheado
6- Salto ou sapatilha? Depende da ocasião.
7- Brigadeiro ou sorvete? No verão, um bom picolé de limão. No inverno, o brigadeiro de panela é imbatível.
8- Doce ou salgado? Depende do humor do meu estômago.
9- Como você define seu estilo? Casual.
10- Você…

Firme e forte e outras estórias

Oi, tudo bem?
Gostou do título do post? Firme e forte. Tudo bem que quase ninguém deu a mínima para o meu post anterior (só teve um comentário), mas eu continuo na vibe de melhorar a minha saúde. #chateada
Hoje, particularmente, estou mais disposta e isso graças à Neguinha. Ela deu de querer brincar de jogar a bolinha toda vez que eu apareço na porta da cozinha. Só que agora não é só jogar a bolinha: é correr pelo quintal atrás dela para pegar a bolinha para jogar de novo. Gastei hoje uns 10 minutos assim e já fiquei com a língua de fora, igual a ela rsrsrs.
A minha meta de caminhada+dieta foi interrompida semana passada: comecei a semana super bem, comendo certinho e fazendo exercícios todos os dias. Mas, na quarta passada, o garoto bateu o carro! :(
Ele estava descendo uma avenida e o carro da frente freou bruscamente para um outro carro, que fez a conversão sem ligar a seta, passar. Conclusão: o garoto bateu atrás do carro que freou! O carro que virou sem seta foi embora como se não ti…

Retrô 2016 - O ano!

Oi, tudo bem?
Último dia do ano, não podia faltar né?! Retrô 2016!!! "O" ano! O ano que virei gente grande, casei, virei "mãe" e nem atualizei tanto o blog porque a vida foi bem movimentada.
Mas ainda temos alguns registros aqui e lá vamos nós para relembrar:
1) Comecei o ano na igreja, com um baita crise de choro por saber que era minha última virada solteira. Tivemos a saga da #operacaocasamento com todos os preparativos descritos a cada cinco dias. E claro, com direito à um spin-off  sobre o presente misterioso.
2) Se 2016 foi "O" ano, Fevereiro foi "O" mês: mês do casamento, da lua de mel, do início da vida de casada.
3) Eu já estava com "tlinta e tlês" anos e já era uma senhora casada, sofrendo para aprender administrar tanta novidade junto. 
4) Abril foi o mês dos "primeiros": primeira tentativa de adotar uma "filha", primeiro acidente doméstico, primeira intoxicação sem ajuda de mammy. Ufa, eu sobrevivi!
5) Maio foi…